segunda-feira, 23 de abril de 2018

Calamidade

Por que de um minuto ao outro
Meus sonhos que em largos tempos
Demorei infundir (reprimindo contentos),
Se esvaem como poeira ao vento?

É tanta derrota que um tropeço
E um dedo rachado são apenas 
Mais um episódio tosco
Da minha vida de amenidades.

Fabiano Favretto


A garota com quem sonho

A garota certa para mim
Certamente virá algum dia,
Ou será que eu deveria
Procurá-la até o fim?

Ah, a garota perfeita
Que me fará feliz...
Algo aqui me diz
Que para mim ela foi feita.

A garota com quem sonho
Não sei que rosto terá,
Mas a mim mesmo proponho

Que meu coração a acolherá,
E não haverá nada de estranho
Pois surgir o nosso amor irá.

Fabiano Favretto

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Sem música

O tango nunca dançamos
E a valsa não valsamos
Afim de tramar a trama
Que nunca tramamos.

Fabiano Favretto

Soneto Inconsciente

Estou acumulando
A necessidade de destruição
A entropia, inanição
De tudo que está chegando.

Big bang
De meu cérebro na calçada
De meu estômago na calçada
De meu coração na calçada:

Tenho mais órgãos
Cá fora, no chão,
Do que em mim.

Preciso de mais espaço
E agora são as palavras que saem...
Mas estas nunca acabam!!

Fabiano Favretto

Dimensão alheia

O inferno dos alienados
É o paraíso
De quem está disposto
A pensar.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 19 de abril de 2018

E que o prazo de devolução seja mais que uma semana

Cada poema perdido
É uma alma que não se salva.
Cada poema lido
É uma alma que se corrompe.
Ora, meus irmãos,
Espero que no inferno
Existam muitos livros.

Fabiano Favretto

Falta de fé

A todo momento digo adeus
A todo momento digo a Deus
Leve-me!
Leve-me!
Estou aqui ainda.

Fabiano Favretto

Ontem tão presente

Por dentro estou podre
Igual a um pinhão
De casca rubra reluzente.
Comigo ninguém pode
Ter compaixão
Por não estar só doente.

Por dentro estou morto
Igual a um caixão
De madeira rubra reluzente.
Comigo não me importo,
Não tenho condição
De encarar o meu presente.

Fabiano Favretto

Sertão coração

Um ser tão desprovido de graça.
Um ser tão provido, desgraça.
Um sertão desprovido de graça.
Um sertão provido desgraça.

Fabiano Favretto

Outra estação

Caminhar entre tanta gente
Caminhar sozinho entre esta gente
Que não olha nos olhos,
Que olha somente para o solo.
Em meio a tanto movimento
Pessoas saem, pessoas só saem
E não saem de seus mundos
Tão necessáriamente individuais.
Por dentro, sou uma árvore
Com galhos secos,
E é inverno aqui fora.

Fabiano Favretto


segunda-feira, 16 de abril de 2018

Rugidos castanhos

Para Kauane

As histórias da terra
E seus olhos castanhos
Não soam estranhos:
São flechas numa guerra.

Não fosse esse mar de gente
Ou essa falta de serenidade,
Talvez a tua (ou minha) ansiedade
Não fosse tão aparente.

Há quem diga que o tempo nos mate,
Há quem diga que o vento nos chame.
Há laços que pelo sangue desatem,

E laços alheios para que se ame.
Olhos, me olhem ou me enganem!
Tens aquilo que em meu peito brame.

Fabiano Favretto

sábado, 14 de abril de 2018

Vais ia

Se vazia
A vasilha,
Se esvazia
Se ilha.

Fabiano Favreto

Soneto da vida vazia

Mais uma vez acabo
Numa noite sozinho,
E o som do vazio
É que me dará cabo.

Não tenho forças,
Não tenho esperança:
Não haverá mudança.
Haverão forcas?!

Não haverá madrugada
Não haverá noite ou dia,
Não haverá alvorada

Nessa vida vazia
Cheia de nada
Haverá poesia?

Fabiano Favretto

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Não vi nenhum gato preto

Doce sexta 13
Doces 13 sextas
13 sextas doces
Sextas, doce 13

Fabiano Favretto

Talvez depois eu entenda

Não sabia se era prisão
Ou se era saudade.
Não sabia se era um não
Ou se era liberdade.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Casquinha com duas bolas

Tão líquido nosso amor,
Sua frieza faz
Picolé do meu sangue,
Gelatina do meu cérebro
E sorvete do meu coração.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 26 de março de 2018

Roll

Toda Pedra
Quebra.
Toda Queda
Engendra
Uma brecha
Para aquela
Pedra
Poder rolar.

Fabiano Favretto

Choremos

A falta de sensibilidade
Que ainda nos falta
É a ferida mais alta
A assolar a realidade.

Quais pedras brutas,
Não lapidadas por medo
De sucumbir ao enredo
Dessa sociedade fajuta,

Queremos mostrar coragem
E afirmar o que não queremos,
Para que não nos reparem

Em meio à tantos erros.
Faço um apelo sem ultraje:
Homens, agora, choremos.

Fabiano Favretto

sábado, 24 de março de 2018

Escrita à lápis

Poesia é a minha
Carta de alforria.

Fabiano Favretto

Diálogo

- E aí filho da puta! Beleza?
- Faaala se pau no cu! Firmeza?
- Há quanto tempo seu arrombado! Como vai a família?
- Vai bem, seu lambe saco. E a sua?
- Bem também! To meio com pressa... preciso ir. Falou, seu cuzão!
- Abraços, seu bosta. Apareça sempre!

Fabiano Favretto

Ensinando

A ressaca
É a minha
Realidade.

Fabiano Favretto

Aprendendo

A ressaca
É melhor
Que a minha
Realidade.

Fabiano Favretto

De olhos fechados

Na mesa todas as armas que me matariam:
Uma faca, um revólver e um retrato seu.

Fabiano Favretto

Favores

Afinal qual o propósito dos dias,
Senão passarem para encurtar a nossa vida?
Cada dia é um novo favor.


Fabiano Favretto

Etílico

Poderia ser whisky, ou então
Cachaça neste sábado.
Tomaria vodka de bom grado
Ou cerveja de litrão.

Por favor não me deixe
Ficar sóbrio esta noite,
Quero destruir minha mente,
Até que meu fígado se queixe.

Poderia tomar catuaba, jurupinga,
Corote ou o diabo que o valha!
Quero queimar como fogo de palha
Morrer dentro de um copo de pinga.

Só não me deixe pensar essa noite
Na minha vida miserável,
Quero fugir da realidade implacável,
Escapar desses malditos açoites.

Quero derreter literalmente
Entre substâncias etílicas degradantes,
Que me tornarão de maneira deliberante
Um ser sem dignidade, um demente.

Fabiano Favretto 



Abala na cabeça

É mais uma noite de sábado
E tenho em mim mais uma ausência
De qualquer tipo de essência:
Aquilo que deveria ter acabado.

Mais uma angústia que se instala,
Em meu peito neste tempo presente.
Poderia então de modo diferente
Resguardar-me de tudo que me abala?

Não sei mais o que é tato,
Ando hoje tão sozinho;
Meu coração só vê maltratos,

E de modo mesquinho
Não resultarei acabado
Sem ter de ti um pouquinho.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 15 de março de 2018

Só se for, senão, não

Se for me matar,
Me mate direito:
De maneira elementar,
De jeito perfeito

Para eu não mais voltar
E assim não mais querer
Ir te procurar,
Buscar te ver.

Me mate a pedradas,
Me mate atropelado;
Não por falta de palavras

Por ser cruel este estado
Por seu silêncio ser cilada
Por eu ser um desgraçado.

Fabiano Favretto

Frasco

Tomastes de mim
Todo sentimento de revolução
E deixou aqui somente
O ódio e a falta de argumentos.
Antes era frasco vazio,
E agora cheio de veneno
Darei de beber à toda alma
Que em mim procurar um pouco
De amor e zelo.

Fabiano Favretto

Ciclo

Por favor, parem
Parem de roubar meus dias,
Dias que seriam bons
Bons mas ainda dias.
Dias que podem matar,
Matar e não deixar morto.
Morto eu não viveria,
Viveria talvez um dia:
Dia que vocês saberiam,
Saberiam até onde ir
Ir até eu pedir por favor.
Por favor, parem...

Fabiano Favretto

segunda-feira, 12 de março de 2018

Retrato 1x1 (ou França, L e Dor)

És agora um retrato
Sorridente de 1x1 centímetro,
Que eu vejo quando me desintegro
Ao procurar erros ortográficos
Em meus poemas postados.
Tu talvez nem os lê mais,
E agora tanto faz.
Você, retrato mudo,
Deve rir como jamais
Fez nesse mundo
Quando vê que escrevi
Amor com F de França
E dor com a letra L.

Fabiano Favretto

Hereditário

Hereditário
O meu sofrimento
De um amor
Ao outro.
A dor transplantada
Por herança
Genética
Sanguínea
Cutânea,
A dor
Herdada
Completamente
De maneira caótica
Mas não aleatoriamente
Somente pelo coração.
Queria eu
Ter herdado
Problema
Cardíaco
Fulminante
Daqueles
De se esquecer
Da dor
Do amor.

Fabiano Favretto



Hematoma

Poesia
Pomada
Passa
Por nada

Fabiano Favretto

É impossível

É impossível ter conhecimento
Do próprio ímpeto com relação à dor,
Pois somente se ao limite você for
Saberá o que acontecerá em tal momento.

É impossível regrar-se pelo que dizem
Pelo fato de que nem toda palavra é verdade.
Nem toda fuga, todavia é ato covarde
E nem todas as leis nesse tempo se condizem.

É impossível viver sem desordem
E é necessário aprender com o caos,
Pois quem é que manterá a ordem

Em tempo que a face de todo o mal
Do coração de cada um eclode
para levar-nos a um duro final?

Fabiano Favretto

Asas

Para Tamiris

Escolha seu par de asas
E mergulhe no infinito.
Faça todo voo que te foi privado,
Até a liberdade tornar-se tua casa.

Fabiano Favretto

sábado, 10 de março de 2018

Vê se reza

Rezou por mim?
Estou precisando.
Na próxima vez que você for
Na missa
No terreiro
No culto
Na sinagoga,
Vê se reza por mim,
Estou precisando.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 8 de março de 2018

Feliz dia da Mulher!

Do que é feito a mulher? Decerto de matéria desconhecida, sem forma nem volume, mas alheia à toda fraqueza.
Como definir a mulher? Nós homens não podemos, pois as mulheres se definem por si próprias - elas não precisam de alguém que as defina, afinal.
O que pensa a mulher? Eterna incógnita, o que pensam vai além da compreensão limitada do homem.
O que é a mulher? A soma de tudo que é luta e força, resistência e amor.

Fabiano Favretto

Feliz dia da mulher, e obrigado por fazer o mundo mais Bonito!

domingo, 4 de março de 2018

1x1

Neste domingo eu me traí
Por não ter sido feliz de fato
E porque não tive nenhum tato
E de minha dor eu não saí.

Me deixei vencer por ser fraco,
E me tornei fraco por tristeza.
Afinal, nem tudo é nobreza:
Me atiro em direção ao fracasso.

Não pude sair incólume
De toda pressão emocional
Que em mim se assume

De maneira tão fatal
Que me consome
Pra sempre, etc e tal.

Fabiano Favretto

Certamente

Queria mais uma vez
Que você me abraçasse
Com suas pernas,
Igual aquele enlace,
Que muito bem você fez.
Assim quando eu entrasse
Te faria mulher novamente,
Faria com que você me amasse
Te daria prazer permanente
Te conhecendo profundamente
Até que você sorrisse
Pedindo sempre mais.
Você teria certamente.

Fabiano Favretto

Borboletas

Para ter borboletas 
No estômago
Precisa-se engolir
Muitas lagartas.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 1 de março de 2018

Todo dia

Todo dia é novo
E todo dia de novo
Novidades nos aguardam
Do mínimo ao máximo
Do subjetivo ao palpável.

Fabiano Favretto

Já é março!

Já é março!
Já finda o primeiro dia
E hoje já é março!
Eu juro que não sabia
Que hoje já é março!

Fabiano Favretto

01/03/2018

Viver é necessário
Porque a morte é inevitável.
Como é louvável
O bonito canto do canário

Que canta por poder voar,
E canta por sua essência
Sem dor nem ciência
Que sua vida pode acabar.

E como tal canário
Hoje eu vivo a cantar
Independente do cenário,

Pois sei que para voar
Não é muito necessário,
Só basta acreditar.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Biela solta

As manchas de gasolina
No asfalto em dia de chuva,
São o arco-iris involuntário
De um motor já cansado.

Fabiano Favretto

Acabado

Trem descarrilhado
Tambor descarregado
Carro desgovernado
Cão abandonado
Amor acabado
Acabado

Fabiano Favretto

Meios meses mesmos

Esse mês,
Eu quase venci o mês;
Eu quase venci eu mesmo
E quase toda a mesma mesmice
Desses meses meio mesmos
Repletos de verdades metades
E misérias mistas de medos.
Meses meios, medos mesmos.

Fabiano Favretto

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Em boa companhia

Hoje eu vim
Beber sozinho.
E vendo assim,
Não sofri
Nem um pouquinho.

Fabiano Favretto

Decisão

A decisão mais difícil
Dessa noite,
É se peço 
Minha vida novamente
Ou um chopp.

Fabiano Favretto

Afta

Com o whisky
Minha afta dói!
Mas dói menos, acredite
Do que a saudade que corrói!

Fabiano Favretto

Na janela

Na janela a loira,
A loira na janela.
A loira bela
E no sereno a loira.
A loira no sereno,
Pela janela.
Pela janela, olhos belos
Da loira na janela
Em noite tão bela.

Fabiano Favretto

Mais astuto

Mudei para a mesa
À esquerda
De onde antes ficamos
E muito nos beijamos.

Você pediu cerveja,
E aquele dia eu dirigia.
Eu pedi um suco,
E hoje, mais astuto,

Pedi um whisky.

Fabiano Favretto

Balcão

O balcão não foi feito
Para abrigar escritores:
É muito alto para as frases
E muito visível (com efeito).

Fabiano Favretto

Fatídica noite

Fiquei ao lado da mesa
Da qual fatídica noite ficamos
E achei um tanto estranho;
Teu corpo foi a sobremesa.

Fabiano Favretto

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

1x0

Nesse dia que acabou de acabar
Obtive sucesso em meu resultado,
Exceto em um estágio do meu estado
Por querer me auto-sabotar.

Mas parei e consegui resistir.
Mostrarei quem mandará, de antemão:
A felicidade terá prioridade então
E não haverá chance de eu desistir.

Poderão meus pensamentos me trair;
O tentam a todo momento, te digo.
Mas não os deixarei conseguir

Porque o que a mim prometi, consigo,
E assim não me deixarei ir
Para qualquer tipo de abismo.

Fabiano Favretto

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Hoje coloquei fim no fim

Amanhã vai ser outro dia,
Sem medo nem rancor,
Porque eu me verei com amor
Diferente de como antes eu me via.

Porque o meu eu não suportava
A minha imagem no espelho,
Hoje perfeitamente eu vejo
O quanto a dor me cegava.

Fechei a porta para o amor ruim
E abri a porta para eu me gostar,
Para eu poder dar mais valor à mim

E a todas as antigas mazelas superar!
Terá no dia de hoje o fim
Dos sofrimentos que eu quis tanto passar.

Fabiano Favretto

Só mais hoje

Te amarei somente hoje, derradeiramente.
O meu coração já não te é suficiente
Porque temos agora a distância somente
E sei que a dor é só minha, infelizmente.

Hoje é o último dia
Que de ti sentirei saudade,
E essa falta, minha ansiedade
Não mais me causará angústia.

Te amarei neste feriado,
Sozinho e em silêncio.
Te amarei fantasiado

Com sorriso (um exercício).
Meu último amor resignado:
Será o fim de você, meu vício.

Fabiano Favretto

domingo, 11 de fevereiro de 2018

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Aluga-se

Alugo casa:
Não é coração de mãe,
Mas tem bom espaço:
Possui 4 peças,
Para melhor acomodação.
Não tem vizinhos
Que incomodam,
Nem um síndico
Que encha o saco.
O valor do aluguel
Não é muito caro,
Basta querer morar
E cuidar bem da casa.
A localização
É relativamente boa,
Com visão para balões
Cheios de ar.
Casa decorada com poesias
(podem variar de acordo
com o inquilino).
Se cuidar bem, gostar de ficar
E ficar bastante tempo,
Permito usucapião,
Porém, se não cuidar bem da mesma,
Poderá ser removido à força.

Fabiano Favretto

Ponto Final

Por que o amor não é assim
Igual às palavras escritas?
Somente se assemelha à elas
Porque nele tudo tem um ponto
(o pior é aquele que fica no fim).

Fabiano Favretto

Sei lá

Sei lá o que falar.
Acho que ando meio
Deixando a desejar.

Fabiano Favretto

Limbo emocional

Estou ainda
Nesse limbo emocional,
Que não finda
E é sempre igual:
Não é paraíso,
Não é inferno
Nem verão
Nem inverno
Parece apenas
(digo de antemão)
Eterno.

Fabiano Favretto

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Reflection, azia, inferno

"O Inferno são os outros"
Mas...
"Eu é um outro"

Fabiano Favretto

Mas é malvada

E se eu for
O teu delírio 
Autoconsciente
Com propósito
De ser torturado
Para compensar
As suas penas?
Não, você não é
Criativa assim.

Fabiano Favretto

Morfina

Cheguei no meu limite
Repleto da metafísica dos dias
Onde as minhas idiossincrasias
Me faltaram com o apetite.

Cheguei no estágio deprimente
Alheio à toda náusea,
Porque sei que ela
Não me é mais suficiente.

E aqui permaneço desperto
Como se nada importunasse
(Exceto se minha garganta não apertasse)
Por não ter alguém por perto.

Fabiano Favretto

Adstringente

Não me basto
Em mim mesmo;
Eu sempre esmo
De mim me afasto.

Não posso ser feliz comigo,
Não sei em mim ver felicidade.
Sendo feito de ansiedade
Não sei ser o meu amigo.

Não me completo
E me amar não posso
Por ser um poço
De desafeto.

Não me estimo,
E não me gosto;
Se vejo meu rosto
Me desanimo.

Deus, eu não me amo
Como poderei amar alguém
Se nem mesmo me convém
Aceitar o meu âmago?

Fabiano Favretto

Dia após dia

Dia após dia
Agonia:
O grito
É mudo,
As mãos
Cegas
E os olhos
Alheios.

Fabiano Favretto

Saudade Ansiedade Sozinho Mesquinho

Saudade
Ansiedade
Sozinho
Mesquinho
Saudade
Ansiedade
Sozinho
Mesquinho
Saudade
Ansiedade
Sozinho
Mesquinho
Saudade
Ansiedade
Sozinho
Mesquinho

Fabiano Favretto

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Não-opcional

Solidão não é coisa opcional:
É necessária a ausência
Das pessoas
Para poder tê-la afinal.

Fabiano Favretto

Nova diretoria

Da próxima vez,
O cérebro deverá
Coordenar a missão:
Estou cansado
Dos fracassos
De meu coração.

Fabiano Favretto

Uma das desculpas

Por que buscar inspiração,
Se as palavras são
A minha maior desculpa
Para tentar te esquecer?

Fabiano Favretto

Quem sabe, autodidata

O canarinho
Sabe escrever
A melodia de seu canto,
Ou conseguiu aprender
Tudo sozinho?

Fabiano Favretto

Refletido

Estou esperando o Sol
Descer ao horizonte
E iluminar meu rosto;
A luz do Sol em meus olhos
Será o último brilho
Que neles verá!

Fabiano Favretto

Um dos monstros

Esqueci qual era
A definição de felicidade
Pois esta minha saudade
É minha maior quimera.

Esse monstro que em mim habita
Desistiu de corroer-me,
E agora até decidiu socorrer-me
Ao saber que assim meu fim evita.

Fabiano Favretto

Perfume

Todo perfume de mulher
É um penar para meu olfato
Porque assim, de fato,
Faz tua lembrança aparecer.

Fabiano Favretto

Rima e dor.

Há poesia sem tristeza?
Existem rimas sem natureza?
Não tem dor sem amor,
Não tem amor sem razão!
Não há verso que preencha
Toda a falta que você me faz.
Não há nada que me convença

Repelir a dor que você me traz.

Fabiano Favretto

Sabemos

Sabemos que são todos
Perfeitos neste "mundo" social,
Todos tão sorridentes, felizes.
Não minto, eu quis
Participar desta rede
E à medida que me virtualizava,
Meu ego tornava-se inflado,
E o gosto da realidade
Mais amargo.
Há hoje vida sem internet?

Fabiano Favretto

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Não se engane

Pensei que não seria possível
Nem que você disso gostaria,
Mas me enganei, então te diria
Para prestar atenção o máximo possível.

Você está começando a me perder,
E cada silêncio é um avanço,
E cada dia distante eu me canso
Por sentir sua falta e nao lhe ter.

Sim, está me perdendo aos poucos,
Por isso digo: cuidado!
Se é isso o que tem como planos,

Tudo bem, é do teu agrado,
Mas se for assim um engano
Não se engane de modo demasiado.

Fabiano Favretto

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Capitular

Quero ser o livro definitivo
Que você lerá por toda a vida;
Serei palavra por sua boca proferida,
Serei o seu índice, a trama e o epílogo.

Serei a letra "A" capitular
Para começar o parágrafo com amor.
Não terei em meus versos rancor,
Farei das minhas linhas o teu lar.

Serei a rocha de teus olhos,
Onde os mesmos repousarão seguros,
E encima dela, irá olhar sobre os muros
Que te cercam de orgulho.

Eu serei a tua leitura de mundo,
Onde viajará sem pagar passagem,
E saberá que esta viagem
Te fará querer ir mais fundo.

Eu serei a história que você viveria
Se quisesse ser feliz realmente,
Embora sei que no fundo você somente
Procura alguém que de verdade a amaria.

Eu serei os versos de amor que nunca ouvistes
E serei a terra virgem que tu nunca pisou
Afim de que possas dizer que esta terra conquistou,
Ao passo que navegando em rimas o amor descobristes.

Serei os versos doces que procuras,
Mesmo que minta gostar do fel amargo;
Deixarei para ti meu amor sem embargo
Afim de que eu possa ser sua eterna aventura.

Fabiano Favretto




Chacoalha

La fora tanto venta
Que a janela chacoalha,
A água faz barulho na calha
E uma nuvem forma inventa.

Aqui dentro tanto som,
Que o jazz nunca jaz:
No ritmo da chuva ele faz
Meu peito um cajon.

A nuvem anda ainda
E o Sol não mais aparece
Nesse dia que se finda;

O Sol não me aquece,
A chuva faz nova vinda
E sei, você me esquece.

Fabiano Favretto

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Texto corrido sem ponto e eu sem você

Quase meia noite e eu estou a lembrar de quando andamos pelo bosque e logo sentamos no banco e coloquei uma flor em seu cabelo e você me perguntou porque matei a flor e entao começamos a brincadeira de bem-me-quer-mal-me-quer mas não terminamos e a flor caiu ao chão porque nossos beijos foram mais importantes que a vida dessa flor e fomos andando para mais longe e esquecemos da flor e esquecemos da dor que poderíamos ter e esquecemos que a saudade existirá mais forte de minha parte e assim tao pontual e tão intrínseca que meus lábios tremem como se o frio do inverno os tocasse e mesmo longe a lembrança tua ainda é quente como aquela tarde de café no museu e abraços sob a sombra de uma árvore qualquer e agora disso lembrar me deixa comovido como o diabo da mesma maneira que Drummond quando tomava conhaque ou quando Tartini sonhava com sua sonata mas nada vem ao caso agora devido às minha falhas pontuais ou meus acertos acentuados em direção ao caos ao teu caos que me deixa desconexo e triste por saber que a tive em meus braços por dias e agora o que tenho é a distância tal qual a vida tem daquela flor sacrificada no bosque ou as lacunas a nós colocadas como aporte à sanidade e a lucidez diferente da minha forma não-pontual de gramática que me obriga a encerrar agora sem você e sem ponto final

Fabiano Favretto

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Caronte

Onde há felicidade no mundo
Se o tempo escorre pelos nossos dedos?
Somos insetos imersos em medo,
Vemos que todos os cortes são profundos.

O que me restaria se hoje eu partisse,
E nem ao menos deixasse notícia?
Alguém por ventura se queixaria?
Quem sabe algum amigo até risse.

Não tomo consciência do meu eu
Porque não sou mais presente hoje,
E assim, tudo o que me acometeu

Deixaria de ser um vulgo ultraje
Para ser aquilo que se deu
Que possivelmente me desencoraje.

Fabiano Favretto

domingo, 21 de janeiro de 2018

Perder, mas sinto não a ter

Toda saudade não é pouca,
Mas no entanto é mais que necessária
E assim tão séria e ordinária
Por deixar minha mente louca.

A abstinência de você
Não é parte do meu plano,
Talvez seja da vida um engano;
Só sei que não quero te perder.

Fabiano Favretto


De amor

Tenho um desejo simples,
Desses desejos de amor
Que não acabam em dor
Mas sim com um beijo daqueles...

Tenho uma vontade singela
Dessas vontades de amor
Que não acabam em dor
Mas sim com eu abraçando ela.

Tenho uma sede simplória
Dessas sedes de amor
Que não acabam em dor
Mas com nosso amor em glória!

Tenho uma fome serena
Dessas fomes de amor
Que não acabam em dor
Mas amando minha pequena.

Fabiano Favretto

Esquecido

Eu perdi minha popularidade,
Eu perdi a popularidade que nunca tive,
Eu perdi toda fama e comoção, inclusive,
E perdi toda minha dignidade.

Eu perdi minha voz de locução
E meu espaço neste nosso espaço,
E me perdi em meu cansaço
E em meio à toda essa elucubração.

Eu perdi em mim mesmo o reconhecimento
E não há nada que o faça encontrar,
Embora eu busque um menor contentamento;

Mas eu perdi o que deveria procurar
E nesse processo de auto-esquecimento,
Também esqueço o que deveria olvidar.

Fabiano Favretto

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Primeiro

Porque penso em ti o dia inteiro
E disso não há escapatória,
Afinal sua falta é notória,
E é em você que eu penso por primeiro.
Fabiano Favretto

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Indisposto

Hoje o jazz está para mim
Como a bebida está para o bêbado,
Mas quem sabe logo chega sábado
Para nisto tudo por um fim.

Me falta hoje o whisky e o zelo,
Mas não me falta o vício,
Neste presente tão propício
Capaz de me arrancar o que é belo.

Hoje me faltou a voz e o tato
Mas a chuva ainda cai em meu rosto;
Contigo hoje não tive contato

E isso me causa profundo desgosto,
Me fazendo parecer um chato
Me fazendo ficar um tanto indisposto.

Fabiano Favretto

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O amor é urgente

O amor é urgente
E não pode esperar uma semana.
Podemos enganar-mos
Mas o amor não se engana.
O amor tem pressa
E o tempo é o nosso maior espaço:
Nos separa dos beijos
E nos deixa longe dos abraços.
O amor é urgente
Meu bem, e eu sou grave!
Como poderia a gente
Escapar deste entrave?
O amor tem pressa
E o relógio não nos perdoa.
Não há espera que entorpeça
Essa saudade que ressoa.
O amor é urgente,
Minha vida,
Porém eu sou mais
Urgente ainda.

Fabiano Favretto

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Nao sei mentir

É que não consigo fingir
Que sou indiferente;
Meu sentimento não é latente
E de você não sei fugir.

Quando bate a saudade
O meu coração aperta,
Pois é tu que me desperta
O amor que é de verdade.

Não sou um bom ator,
E nas rimas falo a minha verdade;
Essa coisa chamada amor

Me pegou de verdade
Com grande fulgor
Que será pela eternidade.

Fabiano Favretto

domingo, 14 de janeiro de 2018

Aquela que faz o céu ser azul

Desde o presente, para aquela que faz o céu ser azul.

I - Dos olhos

Claros e verdes como fonte natural
Despertam em mim bons sentimentos:
Querer você todo momento
E querer livrar-te de todo o mal.

São piscinas doces que me fazem viajar
E olhá-los quando me olhas é aprazível,
De uma força justa de poder e indizível
Que faz parte do querer te amar.

Gosto quando de mim desvia o olhar
Afim de disfarçar o que você pensa,
Mas isso você pode me contar

Pois sabes que a sua presença
É capaz de me causar
Amor que a ti pertença.

II - Da pele

A pele tatuada, tão bem composta
É redigida de cultura e arte,
E dela flores fazem parte
Delineando lindamente suas costas.

Tem um tato deveras macio,
E suas mãos me aconchegam,
E assim a ti meus pensamentos chegam
Na tua boa lembrança que agracio.

Sua pele é a moldura
De uma beleza tão sincera,
E a sua imagem em mim perdura

Numa alegria que não se encerra:
És um remédio que me cura
Que toda a dor já me erra.

III - Das Músicas

Nossos gostos se combinam
E nossos estilos se completam,
Na música nossas coincidências revelam
Aquilo que nossos corações instigam.

Entende das boas músicas
E formada de atitude as compreende;
As músicas na vida empreende
Usando de bom senso e métricas.

Me mostras a musica da tua essência,
E do teu ritmo tenho gostado
A tua letra, composição em ciência,

Tenho muito apreciado
E a propósito foi a influência
Por ter da tua música tanto gostado.

IV -  Do Teatro

Tanto faz Melpômene ou Thaleia,
Das Musas é só você que me importa,
Pois se o amor me bateu na aorta
Da dor a vida minha é alheia.

És atriz, mas a vida não permite ensaios,
Porém tens improvisado muito bem
E assim me feito bem também
Pois desde então não mais me traio.

O teu palco é o mundo
E meus holofotes estão mirados à você,
Com brilho intenso e profundo

Sua presença me é tão marcante,
Que no meu coração, lá no fundo
Tenho medo da tua ausência sufocante.

V - Dos Girassóis

Se eu sou um girassol,
Tens sido minha estrela maior,
E também minha luz melhor,
O meu verdadeiro Sol.

Os girassóis melhores
Buscam sua luz triunfante,
Teu sorriso, sentimento infante
Desperta todos meus amores.

Por onde tu fores,
Estarei voltado a ti, amor,
Afim de em ti encontrar os fatores

Que me fazem de maneira melhor,
Esquecer das minhas dores
E a ti fazer sentir-se melhor.

Fabiano Favretto






quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

No coador de pano

- Você é a nova cozinheira da casa?
- Sou sim!
- Aceita um café?
- Eu passo.


Fabiano Favretto

Aritmética

Somando todas as boas horas
Que juntos passamos,
O valor já ultrapassa o quociente
Das angústias que carregamos.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Azul, dente-de-leão

É tanta flor no caminho,
Mas nenhuma dessas flores
Retratam os seus perfumes
Ou parte de meu carinho.

Porém há flor diferente
Que na pele é retratada,
E essa flor tão perfumada
De cor nada recorrente

É de minha amada.
Flor de dente-de-leão
Tão doce ilustrada,

Onde meus lábios até então
Percorreram essa estrada,
Extasiando meu coração.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

A mar é

Das pedras da praia
Escolhestes a elementar,
E há lá tanto mar
Do dia até que a noite caia.

As conchas que me destes
Foram as mais belas,
Simplesmente encantadas:
São um dos melhores presentes.

Mas eis a sua presença
Mais essencial que todo o mar,
Pois você em sua essência

Faz-me tanto admirar!
Causa-me no peito uma ardência,
Uma vontade de te amar.

Fabiano Favretto