quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Indisposto

Hoje o jazz está para mim
Como a bebida está para o bêbado,
Mas quem sabe logo chega sábado
Para nisto tudo por um fim.

Me falta hoje o whisky e o zelo,
Mas não me falta o vício,
Neste presente tão propício
Capaz de me arrancar o que é belo.

Hoje me faltou a voz e o tato
Mas a chuva ainda cai em meu rosto;
Contigo hoje não tive contato

E isso me causa profundo desgosto,
Me fazendo parecer um chato
Me fazendo ficar um tanto indisposto.

Fabiano Favretto

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O amor é urgente

O amor é urgente
E não pode esperar uma semana.
Podemos enganar-mos
Mas o amor não se engana.
O amor tem pressa
E o tempo é o nosso maior espaço:
Nos separa dos beijos
E nos deixa longe dos abraços.
O amor é urgente
Meu bem, e eu sou grave!
Como poderia a gente
Escapar deste entrave?
O amor tem pressa
E o relógio não nos perdoa.
Não há espera que entorpeça
Essa saudade que ressoa.
O amor é urgente,
Minha vida,
Porém eu sou mais
Urgente ainda.

Fabiano Favretto

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Nao sei mentir

É que não consigo fingir
Que sou indiferente;
Meu sentimento não é latente
E de você não sei fugir.

Quando bate a saudade
O meu coração aperta,
Pois é tu que me desperta
O amor que é de verdade.

Não sou um bom ator,
E nas rimas falo a minha verdade;
Essa coisa chamada amor

Me pegou de verdade
Com grande fulgor
Que será pela eternidade.

Fabiano Favretto

domingo, 14 de janeiro de 2018

Aquela que faz o céu ser azul

Desde o presente, para aquela que faz o céu ser azul.

I - Dos olhos

Claros e verdes como fonte natural
Despertam em mim bons sentimentos:
Querer você todo momento
E querer livrar-te de todo o mal.

São piscinas doces que me fazem viajar
E olhá-los quando me olhas é aprazível,
De uma força justa de poder e indizível
Que faz parte do querer te amar.

Gosto quando de mim desvia o olhar
Afim de disfarçar o que você pensa,
Mas isso você pode me contar

Pois sabes que a sua presença
É capaz de me causar
Amor que a ti pertença.

II - Da pele

A pele tatuada, tão bem composta
É redigida de cultura e arte,
E dela flores fazem parte
Delineando lindamente suas costas.

Tem um tato deveras macio,
E suas mãos me aconchegam,
E assim a ti meus pensamentos chegam
Na tua boa lembrança que agracio.

Sua pele é a moldura
De uma beleza tão sincera,
E a sua imagem em mim perdura

Numa alegria que não se encerra:
És um remédio que me cura
Que toda a dor já me erra.

III - Das Músicas

Nossos gostos se combinam
E nossos estilos se completam,
Na música nossas coincidências revelam
Aquilo que nossos corações instigam.

Entende das boas músicas
E formada de atitude as compreende;
As músicas na vida empreende
Usando de bom senso e métricas.

Me mostras a musica da tua essência,
E do teu ritmo tenho gostado
A tua letra, composição em ciência,

Tenho muito apreciado
E a propósito foi a influência
Por ter da tua música tanto gostado.

IV -  Do Teatro

Tanto faz Melpômene ou Thaleia,
Das Musas é só você que me importa,
Pois se o amor me bateu na aorta
Da dor a vida minha é alheia.

És atriz, mas a vida não permite ensaios,
Porém tens improvisado muito bem
E assim me feito bem também
Pois desde então não mais me traio.

O teu palco é o mundo
E meus holofotes estão mirados à você,
Com brilho intenso e profundo

Sua presença me é tão marcante,
Que no meu coração, lá no fundo
Tenho medo da tua ausência sufocante.

V - Dos Girassóis

Se eu sou um girassol,
Tens sido minha estrela maior,
E também minha luz melhor,
O meu verdadeiro Sol.

Os girassóis melhores
Buscam sua luz triunfante,
Teu sorriso, sentimento infante
Desperta todos meus amores.

Por onde tu fores,
Estarei voltado a ti, amor,
Afim de em ti encontrar os fatores

Que me fazem de maneira melhor,
Esquecer das minhas dores
E a ti fazer sentir-se melhor.

Fabiano Favretto






quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

No coador de pano

- Você é a nova cozinheira da casa?
- Sou sim!
- Aceita um café?
- Eu passo.


Fabiano Favretto

Aritmética

Somando todas as boas horas
Que juntos passamos,
O valor já ultrapassa o quociente
Das angústias que carregamos.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Azul, dente-de-leão

É tanta flor no caminho,
Mas nenhuma dessas flores
Retratam os seus perfumes
Ou parte de meu carinho.

Porém há flor diferente
Que na pele é retratada,
E essa flor tão perfumada
De cor nada recorrente

É de minha amada.
Flor de dente-de-leão
Tão doce ilustrada,

Onde meus lábios até então
Percorreram essa estrada,
Extasiando meu coração.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

A mar é

Das pedras da praia
Escolhestes a elementar,
E há lá tanto mar
Do dia até que a noite caia.

As conchas que me destes
Foram as mais belas,
Simplesmente encantadas:
São um dos melhores presentes.

Mas eis a sua presença
Mais essencial que todo o mar,
Pois você em sua essência

Faz-me tanto admirar!
Causa-me no peito uma ardência,
Uma vontade de te amar.

Fabiano Favretto