sábado, 27 de agosto de 2016

10 p/ 6

O dia pode ter sido bom,
Mas se chega a tardinha,
Não há qualquer som
Que alegre vida minha.

É esse escuro vazio
Aqui dentro de mim
Onde só habita o frio
Que nunca terá fim.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Causo rítmico

João não largava do sax,
Até que um dia morreu.
Nesta cova, Jazz João.

Fabiano Favretto


Ecossistema urbano

As árvores são os homens;
A fauna metálica faz fila
Quando a luz vermelha acende.

Fabiano Favretto

Escolhas, fim, Folhas e jardim

Sempre as mesmas flores nos jardins,
E nas ruas as mesmas folhas ecoam.
Não que eu me importe, não se doam;
Tudo que é vivo um dia terá fim.

Sempre as mesmas folhas nos jardins,
E nas ruas as mesmas flores ecoam.
Não que eu me importe, não se doam;
Tudo que é vivo um dia terá fim.

Sempre os mesmos jardins nas folhas,
E nas flores as mesmas ruas ecoam.
Não que eu me importe, não se doam;
Tudo que é vivo um dia fará escolhas.

Sempre as mesmas flores nas folhas
E nas ruas os mesmos jardins ecoam.
Não que eu me importe, não se doam;
Tudo que é vivo um dia fará escolhas.

Fabiano Favretto

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Reflexos

É só sua face derretendo
E um buraco sendo feito
Aqui dentro do meu peito.
Você está me entendendo?

Quando todas as festas acabam
E a bebida começa a subir,
Nunca sei para onde ir
Sem ver as luzes que ofuscam.

Ou era somente uma imagem
Numa poça d'água
Durante essa longa viagem?

Caminho como uma régua.
Seria miragem?
A dor é que me apazígua.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Resposta afiada

... E a faca logo responde para a pedra:
- Vê se não me amola!

Fabiano Favretto

domingo, 21 de agosto de 2016

Por enquanto...

Por você
Por mim
Porcaria
Porto
Portaria
Porco
Por fim
Pôr fim.

Fabiano Favretto