quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Culta

A vida é demasiada curta
Para viver sem arte!
A vida é demasiada culta
Porque viver é uma arte!

Fabiano Favretto

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Metafísica da palavra

E do alto da colina, ouve-se um grito que ecoa por quilômetros:
REVOLUÇÃO!!!!
- Por que escolheu esta palavra?
- Não escolhi, ela se escolheu.
- Não, você deve ter pensado nela!
- Entenda, minha cara: a metafísica das palavras é de que estas sempre existiram. É exatamente como a morte, que é o resultado da vida... A palavra é o produto do silêncio.
- A morte é inevitável!
- A palavra é necessária.

Fabiano Favretto

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Líquido âmbar

Não compreende-se viver
Se não há whisky.

Fabiano Favretto

De antemão

Estou tão ansioso
Que de viver já esqueço,
E antes de ficar idoso,
Meu Deus, eu já padeço!

Fica tão difícil respirar
Quando o mundo cai ao chão.
Já é de se esperar
Que eu morra de antemão.

Está faltando inspiração
Nas escolhas que eu faço:
Se o resultado é sempre não,

Já espero o embaraço
Como uma sólida visão
Neste meu tempo-espaço.

Fabiano Favretto

Aos trigais

Quem em sua beleza dourada
Esconde os segredos do vento,
E os mistérios da terra e da garoa?

És pequena semente plantada,
Jamais deixada ao alento.
Também alimenta quem voa.

É mar de jade em juventude,
Onde no horizonte faz linha
Buscando as nuvens mais altas!

Em sua sazonal magnitude
És o prefácio da farinha,
Que seu valor ainda mais exalta.

Labirinto para os pequenos,
É cama e lar para quem a deseja
E quem em ti podem ver a calma.

O teu sibilo de vento eterno
É a liberdade que o homem almeja
Para entender sua própria alma.

É tu sob as estrelas,
Da Terra a parte mais nobre
Onde até a Lua a ti faz saldação:

É das riquezas amarelas
A que chega às mãos pobres:
Da fome é a redenção.

Fabiano Favretto

Voam

Somente os pássaros
Comem migalhas
Sem perder a dignidade.

Fabiano Favretto

Poema de dois minutos

Ânsia e idade
No tempo que
O homem tem
Fracionado.

Ansiedade
No tempo que
O homem tem
Cultivado.

Fabiano Favretto