segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Linhas, rimas e atalhos.

Na falta de caminhos curtos
Encara-se o longo trajeto.
Não espero que isso seja objeto
Nem o motivo de meu surto.

Na falta do atalho,
Encaro o longo trecho.
Não levo comigo apetrecho
Já que eu sempre falho.

Quando há falta de palavras,
No silêncio me escondo.
A falta de rimas

Na prosa vou transpondo,
Para que em linhas ínfimas
Eu vá me decompondo.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário