quinta-feira, 26 de julho de 2018

Tampouco

Minhas forças se anulam,
Meus ombros se arrebentam;
Meus pensamentos não aguentam
Esses dias que se acumulam...

Viver sem nenhuma mistificação
É saber que os dias são somente dias,
E que no fim destes, não há alegria
Nem qualquer boa emoção.

Vivo pelo fim do dia
Para poder respirar um pouco.
Se hoje me foge a poesia,

Como não ficarei louco?
Há tanto mais que minha azia,
E não vejo o fim... tampouco!

Fabiano Favretto



2 comentários:

  1. Sempre confundindo sobrevivência e vida... Infelizmente também faço parte deste pacote.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobreviver é o que nos resta... Afinal, hoje há alguém sequer que realmente viva?

      Obrigada pela visita, Carol!
      ;*

      Excluir