segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Nesta ponte que cai

A solidão, quem imaginaria,
Antes esta me desolava,
Agora até acho que agrada.
Vem se tornando uma amiga.

A solidão, eu não imaginava
Que é amar ou ser amado,
Ser doce, ser amargo
Não amarei como eu amava.

A solidão que não vai,
E eu que não ficarei
Nesta ponte que cai

Sozinho terminarei.
Meu grito não sai,
Sozinho eu morrerei?

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário