sábado, 29 de outubro de 2016

De estar alheio à culpa

Eu colocaria a culpa no vinho,
Ou no demônio a responsabilidade
Para não encarar sozinho
Essa dura tristeza - a realidade.

Me afastaria de qualquer coisa
Que pusesse em xeque minha posição:
De correto, ético, qualquer coisa
Que me fizesse optar pelo sim ou não.

Eu colocaria a culpa
No meu colega ou vizinho,
E depois pediria desculpa.

Me sinto muito sozinho,
Esta pele quem usurpa
É um covarde mesquinho.

Fabiano Favretto



Nenhum comentário:

Postar um comentário