quarta-feira, 1 de abril de 2015

Melhor presente *-*

Ontem, minha irmã me escreveu um poema. Fiquei muito feliz e decidi postá-lo aqui: 

Sentada no Banco do ônibus vermelhão
Pensamentos voando na escuridão da noite.
Sem lua, sem rumo
Veja quantas pessoas na rua!
Chega de solidão...
Meu coração bate molemente.
A cidade é linda;
O som urbano contente.
Deixa eu sonhar!
A melodia inunda meus ouvidos:
Ouvidos estes 
Que não se cansam de escutar...
E quem irá me ouvir?
O som intrépido do trem
Cala quem ousa falar.

Muitas ruas, muitas praças
E esse intenso vai e vem.
Vai que uma hora ela vem?
Ela quem? A felicidade?
Não, amigo. A sorte.
Que bate e cansa de bater
Que passa despercebida
Sem ninguém ver.
Será que estou no lugar certo?
Isso somente o destino irá me dizer.

Giane Favretto

Muito obrigada, Gi :*
Gostei muito.

2 comentários: