domingo, 26 de abril de 2015

Anônimo

Mesmo que minha boca não fale
E que seus olhos não adivinhem,
Te amarei secretamente
Até o fim dos tempos.

Fabiano Favretto



Nenhum comentário:

Postar um comentário