sábado, 16 de dezembro de 2017

O rio ainda corre

Todo esse calor me faz querer
O frio sério do inverno,
Pois o frio da solidão é o inferno
Que todo dia me fazes viver.

Quando a noite chega sozinha
E traz consigo essa brisa pífia,
Entrega a mim zombarias:
Sórdida e simples artimanha.

Ofélia, tua ausência me preocupa,
Mas o meu orgulho é maior que eu,
E todo meu ser assim já ocupa.

Ofélia, o que você me ofereceu,
Com a morte uma disputa,
Em ti buscar, o que não é meu.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário