domingo, 31 de dezembro de 2017

O que me ofereces

Transcrever-te em versos
Não é fácil como pensei.
Fácil seria percorrer campos ermos
Que um dia já andei.

Porém tu és caminho misterioso,
Uma rosa que não desabrochou
E que assim não me revelou
Qual o seu desejo fervoroso.

Pois bem, o Sol ainda nasce
E a primavera se foi há algum tempo,
Mas quem sabe a rosa floresce

E nesse sublime momento
Eu possa ver o que me ofereces
Dando a mim um certo alento?

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário