quarta-feira, 29 de março de 2017

Amor existes?

Hoje sou só o pó,
A nulidade da existência.
Sou o rastejo no tapete
Em busca de amor.

Amor, sob essas estrelas?
Amor nem a 1000 anos-luz,
Nem a 10 minutos,
Nem a 100 existências.

Amor, na xícara da existência
Tenho sido o chá, e tu os lábios.
Fui bebido por ti, mas de ti,
Minha sede nunca matei.

Sou o desiludido figurado
Transfigurado lamentavelmente
Nas letras destes versos.
Amor, existes?

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário