quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Preâmbulo às batidas do coração.

Se pensas em não sofrer,
Fortemente o amarre.
Se isso estranho lhe parecer,
Ao menos se prepare:

Pode ser que às vezes ele descompasse
Do ritmo comum de ser humano
Batendo num ritmo frenético de enlace
De um amor sujo, quase profano.

Se pensas em viver,
Não dê corda nesta máquina.
Mas se acaso acontecer,
Faça do azar peça pequena:

Pode ser que as engrenagens enferrujem
Ao simples toque de ódio sincero
Soltando peças que como leões rugem
Desgastadas em sofrimento eterno.

Se pensas em crescer,
Admira-me seu otimismo.
Se a pressa a ti vencer,
Avisarei da vida o cinismo:

Pode ser que no interior, seja frio o coração
Batendo em marcha lenta, manca e bucólica
Até que o amor que faz sofrer, torne-o então,
Rápido, quente e impreciso: marcha simbólica.

Fabiano Favretto

2 comentários: