quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Aceitei

No banco da praça,
Estava ela
Tímida e silenciosa.

Me aproximei
E pedi licença.
Ao seu lado me sentei.

Olhei para ela
E ela me olhou.
Era triste e bela.

Naquele instante
A abracei.
Eu estava confiante.

Naquele comento inconstante,
Abracei a minha
Solidão sempre presente.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário