domingo, 3 de agosto de 2014

Sazonal

Azul profundo
Os seus olhos
A me encantar,

E sua pele branca
Assim como
A luz solar

Denuncia
Formas aleatórias
De minhas mãos

Ao tocar-te
A sombra negra
De meu coração.

Sozinho
E calado
Na empreitada,

Na crescente
E feroz
Caçada

Tento assim
Cativar-te
Mesmo que não veja,

E  ignora-me:
Não importa
Quem eu seja.

Morro dias,
Morro noites.
Morro de vontade

De seu corpo,
Pura e franca
Sazonalidade.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário