terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Corpoesia


Encontrei em teu corpo
A mais perfeita poesia,
E ali em tua pele, absorto,
Cada frase eu relia.

Cada curva sua sussurrava
Palavras não escritas ao vento,
Enquanto minha boca lavrava
Os seus lábios de contentamento.

Nas rimas de nossos movimentos,
Encaixaram-se palavras sem contexto
Das quais todas sem incrementos,
Fizeram do prazer livre manifesto.

Dividiu-se em estrofes e versos
Esse seu sorriso coloquial.
Fitou-me com olhar de universo,
Amor, imensidão sem igual.

Fabiano Favretto

4 comentários:

  1. Ain, que me apaixono sempre por teus versos, que cada um é melhor que p outro!

    Bjoo'o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *---------*
      Só tenho a agradecer suas visitas aqui em meu blog.
      Tenho mais vontade de escrever sabendo que alguém gosta de
      Meus versos :3

      Obrigada!

      Beijões

      Excluir
  2. "Fizeram do prazer livre manifesto" , lindo demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As palavras sem um contexto,
      em determinadas horas,
      fazem grande sentido.
      Obrigado pelo elogio e por seguir meu blog *-*

      Beijos.

      Excluir