terça-feira, 4 de novembro de 2014

Navegante

Minha vontade agora,
Era descobrir-te 
Um pouco mais.

Não vou embora
Por gostar-te
Dos planaltos até o cais.

Eu volto sempre
Pelo ato de viajar.

Neste seu corpo,
Onde há terra, amar.

Fabiano Favretto

2 comentários: