segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Quem me dera ser poeta!

Quem me dera ser poeta!
Saber escrever verdades,
Versos, estrofes e frases
Em rimas belas e corretas.

Quem me dera ser o menor dos poetas,
Para fazer luz o canto do passarinho.
E rimar, rimar, devagar, devagarinho
As coisas simples de natureza perfeita.

Queria ser um mísero poeta!
Queria não, eu quero ainda
Delinear frases nesta vida,
De forma simples e completa.

Queria, quem me dera.
Deus, como eu queria
Ter nas rimas alegria..
Mas não a tenho nesta era.

Quem me dera ser poeta triste,
Quem me dera rimar as árvores
Quem me dera remar às tardes
Neste rio da métrica que inexiste.

Quem me dera ser garoa,
Ponto, vírgula e reticencias.
Quem me dera ter ciência
De não jogar rimas à toa.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário