terça-feira, 21 de julho de 2015

Girafa

Pelo longo pescoço,
Singeleza demonstra.
Em alta classe o escopo,
Movimento apronta.

Nas quatro patas sustenta
Armação de ossos esbeltos
Dos quais estrutura ostenta
Padrão alto, traços corretos.

As cores em energia,
O marrom e o vivo amarelo.
Fazem desta pele, alegria
Igual a um quadro sincero.

O seu andar abrupto e orgânico
Como vento no alto das gardênias
Desmistifica o locomover mecânico
Do tempo nesta tarde do Quênia.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário