sábado, 25 de julho de 2015

Abiogênese

Abiogênese a poesia surge
Do vácuo frio
As rimas reluzem
Toma vida verso tardio
Palavras que me iludem
Nascem no imenso vazio
Para neste papel morrerem.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário