terça-feira, 19 de janeiro de 2016

In porto

Para Suelen

Se és meu porto,
Nosso amor é o vento
Neste mar sem conforto
E sem alento.

Atracarei na rocha fria
Da sua pele límpida.
Na sua areia eu queria
Percorrer em marcha íntima.

Suas virtudes, minha âncora
Que faz contigo eu querer ficar.
Seu sorriso que vigora
Faz contigo eu querer estar.

Não há maré mais confortante
E tampouco menos inquieta
Que seu beijo, seu semblante:
Olhos, fragata, onda completa.

Fabiano Favretto

3 comentários: