sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Clamor

Oh, tempo que voa
Quem a ti deu asas?
Por que seu uivo entoa
Nas portas tristes de nossas casas?

Oh, vento no relógio do mundo
Por que sois invisível aos olhos?
Por que és lento e imundo
Neste espaço irrisório!

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário