terça-feira, 20 de outubro de 2015

Aos poetas

Por aqueles que as palavras embalam
No ritmo doce das rimas que falam,
Tenho uma grandiosa admiração.
Já está vasto este meu coração

Morada do deleite que transborda
Ao apreciar as linhas de poesias alegres
Que ao papel, desnudas e entregues
Despertam ao passo que a alegria acorda.

Construtores de torres linguísticas,
Escultores de versos não-atrozes.
Velozes em suas características,

Vivam o mundo, poetas ferozes
Com suas almas artísticas
Embargando as nossas vozes.

Fabiano Favretto



Nenhum comentário:

Postar um comentário