quinta-feira, 15 de março de 2018

Só se for, senão, não

Se for me matar,
Me mate direito:
De maneira elementar,
De jeito perfeito

Para eu não mais voltar
E assim não mais querer
Ir te procurar,
Buscar te ver.

Me mate a pedradas,
Me mate atropelado;
Não por falta de palavras

Por ser cruel este estado
Por seu silêncio ser cilada
Por eu ser um desgraçado.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário