sexta-feira, 22 de julho de 2016

Batida?

Que viola que nada!
Que som de violão?
Gente alienada...
Agora é só batidão.

Meu sistema é antigo,
É do "tempo do zagais"
Por isso indago, meu amigo,
Vamos ver quem sabe mais!

Talvez eu seja xucro,
Um caipira do interior.
Ando de pé sujo,
Não me sinto superior.

Eu aprendi bastante coisa
Que a natureza ensinou.
E você, diz  frase concisa?
Não, só titubeou.

Rimas simplesinhas,
Não sei falar difícil.
Minha rima é precisa
Sua batida é imbecil.

Nada contra ninguém,
Ouçam o que quiser!
Espero que saibam bem,
Respeitar o que eu disser.

Fabiano Favretto




Nenhum comentário:

Postar um comentário