quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Soneto para-alienado

Eu, mísero verme espectador
Servo da opinião midiática
Julgo a tudo de maneira lunática
Pelas ações de quem sou seguidor.

Minha razão jamais empírica,
Sobrepõe a minha vazia alma
Me fazendo rir e perder a calma
Quando recebo alguma crítica.

Minha cabeça está tão vazia,
E meus olhos estão vendados.
Toda informação real causa azia

É pesado da ignorância o fardo
E já não faço o que eu fazia;
O facebook tem me ajudado.
Fabiano Favretto

4 comentários:

  1. Um toque inspirador, gostei, absolutamente.
    "J"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecido. :D
      Obrigado pela visita!
      Volte sempre
      (Que der,
      Que poder,
      Que quiser).

      Abraços,
      Fabiano Favretto

      Excluir
    2. Podexá, que é como diz o Cícero, "que tal mais um café"
      "J"

      Excluir
    3. Café, Sim! Pode chá também!

      Abraços,
      Fabiano Favretto

      Excluir