segunda-feira, 15 de junho de 2015

Defenestrado

O frio que eu sentia na alma,
Era por ter deixado aberta a janela.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário