quarta-feira, 25 de março de 2015

Libertação

Para Mayara Favretto

Correr e correr fugindo de mim
Mas como saber qual a direção?
Caminhos tortos me levam ao fim
Como pode o destino tender para o não?

Destas estradas tortuosas
Quis eu agora fazer menção:
Escolhi de todas, a mais sinuosa
Estrada chamada libertação.

Acabou-se o tempo de angústia,
Em que a tristeza era parte minha.
Restou-me o orgulho, alegria
Quando soube que nova vida vinha.
Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário