terça-feira, 17 de março de 2015

As lembranças são frequentadoras assíduas da saudade

Eu sou esse homem que te deu uma rosa
Mas que dela não tirou os espinhos.
Assim mesmo, de forma penarosa
Quis eu por si só trilhar um caminho.

Não sou dos homens o melhor - estou longe de o ser.
Mas se a sinceridade implica algum custo,
Na minha alma está uma dívida a enlouquecer.
Como (a)pagar da tua vida o amor - um susto?

Não acho que seja fácil esquecer fatalidades,
Porém é mais fácil conformar-se com o que têm.
As lembranças são frequentadoras assíduas da saudade,
E não há nada que impeça a dor quando elas vêm.

Fabiano Favretto

2 comentários:

  1. Tornei-me refém dessas lembranças. Seria isso uma vantagem? Com elas, um turbilhão de sentimentos. Teria isso algum sentido?
    Talvez sim, talvez não.
    Carrego comigo a saudade e suas assíduas frequentadoras...
    De um tempo bom que não volta mais.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As lembranças são um aporte à algo que nos falta.
      O que nos falta e nos faz falta traz a saudade.
      Saudade é capacidade de não se esquecer - lembrar.
      Ciclo vicioso.

      Abraços.

      Excluir