sexta-feira, 13 de junho de 2014

Ratificação

Muitas vezes penso:
Um rato queria eu ser.
Bicho imundo
Vivendo no lixo,
Apenas a roer e roer.

Roe isso e roe aquilo,
Roe até cola de sapato.
Roe a vida sem compromisso:
Só se preocupa com o gato.

Queria eu como rato,
Morrer de barriga cheia.
Preso no susto, num grande estalo
Pela mortal ratoeira.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário