segunda-feira, 24 de agosto de 2015

A guerra

Morri calado
Porque vivi falando.
Sozinho e parado
Foram me enterrando.
Me fundi ao solo
Como parte da terra;
Um soldado tolo
Da vida, a guerra.

Fabiano Favretto

3 comentários:

  1. Que poema meu caro, que poema meu caro!
    Me deixa postar ele meu cantinho? Eu sei que é o segundo que peço, mas coloco os devidos créditos novamente.


    Fique em paz,
    Amanda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas seria mais uma vez uma grande honra para mim!

      Me sinto novamente lisonjeado *-*

      A resposta é SIM! :D

      Abraços,
      Fabiano Favretto

      Excluir