terça-feira, 12 de maio de 2015

Arma língua

A arma língua,
De fogo a estrela;
Ao céu-da-boca
Lança palavras,
Labaredas
Queimando
Frases e textos,
Assando poesias,
Achando poesias
Não-amenas
Não-mornas
Quentes
Em chamas.
A língua
Se agita
No êxtase
De cada letra.

Fabiano Favretto


2 comentários:

  1. Ainda vou ouvir muito falar de vc, Favretto. Sua poesia tem qualidade. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha!
      Espero que ouça falarem de bem!
      obg :3

      Bjs

      Excluir