sexta-feira, 14 de março de 2014

Despercebida

Por entre
Emaranhados
De ferro e concreto,

No ventre
Gelado
De solo descoberto,

Rotineira dádiva
É silenciosa
E atávica.

Despercebida
A vida se cria
Sem nenhum crime:

Na fresta
Do asfalto, 
Nasce flor sublime.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário