sexta-feira, 2 de março de 2012

O Natal que não se encontra em uma prateleira.

                Morreu! Morreu?!? Morreu...
  O verdadeiro espírito natalino se não morreu, sabe fingir muito bem!
Sinto o sentimento do verdadeiro Natal se desfazendo com o tempo,
a alegria indo embora a cada ano que passa.
  Talvez seria o fim da infância, o amadurecimento, as preocupações
e responsabilidades a causa da perda de identidade desta data?
  Certo dia caminhando pela calçada, avistei uma plaquinha dizendo:
"Faça já suas compras de Natal! deixe seu Papai Noel trabalhar dobrado!"
a placa em si, não achei esquisita, mas sim a data em que ela foi colocada: num dia
de OUTUBRO, dois meses antes do Natal.
  Continuei caminhando e pensei com meus botões.. o quão ordinário e aproveitador
o ser humano está se tornando. Talvez não seja de hoje, mas sim sendo acumulado
com o tempo. A ação de fazer toda ou qualquer coisa, por menor que seja,
ser motivo para se ganhar dinheiro, é uma das características mais egoístas do ser
humano. Conheço pessoas que trocariam a própria mãe por um punhado de
notas de dez..
  Ah, e é claro! todos querem presentes, status, riqueza... pena que ninguém
pensa que dividindo, se tem mais, ou todos tem igualmente..
  Sei que postar isso no dia 02 de Março não faz muito sentido, mas sei
também que ninguém está nem aí para esta data antes que chegue dezembro..
(ou 2 meses antes como na placa).. Então lembrar é sempre bom, não é?
  Ainda tenho esperança que esta data volte a ser um momento de partilha,
de pessoas que saibam valorizar a companhia de cada pessoa,
e não a transformar isso motivo de comercio ou de ganhar dinheiro.
  Quero um Natal simples, porém verdadeiro. Não quero um Natal que seja
comprado em uma prateleira de super-mercado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário