domingo, 6 de maio de 2018

Soneto do iludido

Você foi miragem
No meu deserto escaldante,
Como um oásis delirante:
Me deu até coragem.

Corri como um iludido
Afim de tuas águas encontrar.
Não foi de se admirar
Que fiquei tão deprimido.

É normal na carência
Esquecer-se de viver,
E viver fora da ciência

De que preciso ter
Para arrumar paciência
Para poder te esquecer.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário