domingo, 6 de maio de 2018

Soneto do alucinado

Enquanto toda esta pátina
Está envolvendo meu coração,
(Por causa da saudade, em ocasião)
O tempo da vida amarela toda página.

Não sou capaz de submeter-me
A mais um domingo sombrio,
Sem que esteja definitivamente ébrio
Afim de não sentir-me um verme.

Perante toda a indiferença,
E durante todo esse estado
Não tenho nada que me convença

Fugir desse sentimento desesperado
Que talvez (com certeza) me vença,
Me deixando ainda mais alucinado.

Fabiano Favretto


Nenhum comentário:

Postar um comentário