segunda-feira, 31 de julho de 2017

Não vou!

Não, não vou me curvar
Meus joelhos já não dobram mais.
Não, não vou me curvar
Porque a liberdade não deve ser utopia.
Há quem diga que devemos ser felizes
Com o que temos,
Mas a felicidade não está no consentimento,
Mas sim na idéia de que novos objetivos
Surgem a cada instante.
Não, não vou me curvar
E aceitar que poucos têm o poder.
Não, não vou me curvar
Perante qualquer tipo de "liderança"
Fútil e ameaçadora.
Não, não vou me curvar,
Porque a felicidade não me permite
Se curvar perante o mundo.
Não, não vou me curvar
Perante chefes ou supervisores.
Não, não vou me curvar perante
Qualquer tipo de admoestador.
Não, não vou me curvar
Não vou!
Não vou!

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário