sábado, 17 de junho de 2017

Limbo

Te ver é como morrer
Mas permanecendo vivo,
Pois és o maior motivo
Do meu desfalecer.


Te abraçar é como afogar-me
Em profunda tristeza,
Pois não tenho certeza
De poder encontrar-te.


És como céu e inferno,
E a lua não apareceu;
Mais uma noite de inverno


Onde somente, e somente eu
Fiquei neste sofrimento eterno:
Abraço que você me deu.


Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário