segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Luz

Um Thriller Curto - à minha prima Josiane (:




- Acorda meu filho! Acorda!

Francisco acorda assustado e bate no despertador, que rola e cai sobre o tapete. Ele olha ao redor e com um gesto preguiçoso, estica o braço para fora da cama a fim de pegar o relógio. Estranhamente sente um cheiro de rosas que o paralisa por um instante. Fica pensativo e deixa o despertador onde estava. Subitamente se contorce com dores de cabeça se queixando da intensidade das luzes. Eram 4 e 20 da manhã.
Francisco não era o mesmo após aquele dia no lago. Todas as noites ele lembra de seu pai naquela madrugada de inverno, quando sacudia o seu corpo em desespero. Lembra-se das lágrimas de seu pai caindo em seu rosto.
Francisco ainda não entende o que houve. Ainda está confuso. O que lhe vem à cabeça é frio, gelo, dor e luz.
João sempre vai ao hospital. Todos lá o conhecem, pois há um bom tempo que frequenta aquele lugar. Ele senta em uma cadeira ao lado de uma maca com um garoto em coma. João olha um vaso de rosas que está sobre a mesinha e diz:

- Acorda meu filho! Acorda!

O menino abriu os olhos, mas ainda permanecia imóvel. João se surpreende e acidentalmente derruba o relógio que estava próximo a ele. Ele pensa em pegar o relógio mas percebe que já está na hora de ir. Ele sai da sala e deixa as luzes acesas. São 4 e 20 da manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário