sábado, 9 de setembro de 2017

Brasa viva

Cabelos cor de fogo
E lábios como lava,
De um vulcão em brasa
Onde sempre eu me jogo.

Mas tão quanto quente,
É demasiado inacessível:
Não por processo crível
Ou por ato inconsequente.

Queria alcançar tal boca,
Queria sentir o calor dos lábios;
A vontade de queimar não é pouca

E os motivos são vários
Para amarmo-nos (de forma louca?)
Afim de em cinzas acabarmos.

Fabiano Favretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário