sexta-feira, 30 de maio de 2014

Realmente

Realmente tento,
E tentando me desfaço.
Me desfazendo
Me despedaço.
Despedaçando-me,
Desespero-me.

E tento em vão
Quebrar a mim,
Mas somente quebro
Meu coração.

Fabiano Favretto

Alvorecer

Pensar,
Pensei.

E de tanto penar,
Acabei
Por sonhar.

Comecei
A vagar,

E terminei
A cantar,
Quando fitei
O triste luar.

Acordar,
Acordei.

E de tanto sonhar,
Acabei
Por penar.

Comecei
A pensar,

E cantei
Ao terminar,
Quando fitei
O dia alvorar.

Fabiano Favretto

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Réquiem para as nuvens

Mortas estão as nuvens:
Vão vagando
Em marcha fúnebre,
Se aproximando
Da cova lúgubre
Enquanto o dia vai findando.

Como velas acesas
As estrelas no céu
Homenageiam o fim.
Há tanta tristeza,
Que no alto o véu
Rasga-se enfim.

Cai sobre todos
Como lágrimas geladas:
O céu chora pelos tolos
De almas degradadas.
Rastejam os loucos
Para a derradeira cilada.

O que outrora houve
De macia alvura,
Tornou-se som gruve
De grande amargura.
Há ainda quem busque
No céu qualquer figura?

Fabiano Favretto

terça-feira, 27 de maio de 2014

Pinicando

Deus inventou a camiseta
E o Diabo, a etiqueta.

Fabiano Favretto

Reclames

Minhas poesias
São tímidas.
Na verdade,
São envergonhadas.

Pouco aparecem
Ou se manifestam.
Quando "dão as caras",
Como é difícil capturá-las:

Geralmente estou no ônibus
Sem papel
Ou qualquer outro meio
De registro.

Comprei um caderno,
Mas não é o suficiente.
Quando a ideia surge
"PUF!" já sumiu.

Chego em casa
E forço a memória.
Se não fosse minha teimosia,
Eu nada haveria escrito.

Tento, invento
E remendo algumas ideias.
No fim é este o resultado:
Os reclames de um teimoso.

Fabiano Favretto

"Quem vive de passado é museu"

Tenho passado muito lá no museu,
Tenho muito passado lá no museu.
Lá no museu eu passava.
Passei no museu com passos rápidos.
Passei no museu no passado.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Basico

Qual o incentivo
Que o trabalhor tem
Em um país
Onde pilantra se dá bem?

Fabiano Favretto

domingo, 25 de maio de 2014

Goteira

Goteira no teto
Precipita-se a cair.
Gotinha travessa
Que não quer partir

Brilha à luz branca
Como brilha um cristal.
Brilha agora intensa,
Com brilho fenomenal.

Pinga agora mesmo,
Pinga mesmo depois.
Só não pingue a esmo:
Pinga por nós dois.

Fabiano Favretto

sábado, 24 de maio de 2014

Pedaços

Caracol sem casco,
Coração em pedaços.
Move-se rastejando:
Vai juntando os cacos.

Fabiano Favretto

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Sorriso

Nada melhor do que 
Aquele sorriso espontâneo,
Daqueles com o canto da boca,
Sem aparente motivo
Ou objetivo
Senão sinceramente 
simplesmente sorrir.

Fabiano Favretto

Nublado

Meu céu cinza
É humilde,
Diferente
Do seu
Céu de anil.

Meu céu cinza
É discreto,
Elegante
E muito
Gentil.

Meu céu cinza
É simples:
Não precisa
De enfeite.

Meu céu cinza
Cai suave
Na fria tarde
Ou noite quente.

Meu céu cinza
É bucólico:
Berço de poetas
Tristes.

Meu céu cinza
Melancólico
Ainda em mim
Persiste.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Vinheta

Sábado à noite
O filme não é bom.
Ligo a TV
Para somente
Ouvir a vinheta.

Fabiano Favretto

Re

Remoía-se.
Ressonava-se.
Resmungando
Resumia-se.

Fabiano Favretto

Remendo

O conserto do concerto
Foi remendar
Todas as Notas.

Fabiano Favretto.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Anotações

Meu caderno
De poesia,
Que um dia 
Foi alento,

Tornou-se cheio
De heresia,
E ao fim seria
Desapontamento.

Fabiano Favretto


terça-feira, 20 de maio de 2014

Soul em Sol

Sua alma
É minha música,
E em mim provoca
Toda a angústia.

Um som
Para os necessitados,
Um soul
Para os desesperados
E um Sol
Para os rejeitados.

Não se deixe enganar pelo embalo,
Pelo embalo do soul em sol.
Sua música eu sei que sou,
Mas seu Sol não é mais
Meu som.

Fabiano Favretto

domingo, 18 de maio de 2014

A Maçã

A fruta injustiçada.
Filha da árvore da sabedoria.
Envenenada.
A fruta do prazer.

Suculenta em essência.
Formidável aparência.
Vermelho, veludo.
Doce paladar.

Fermentada em carvalho,
Doce bebida a embriagar.
A fruta do pecado
Vem a sanidade eliminar.

A maçã do amor:
Grande ilusão.
Cobertura de melaço
Amarga o interior do coração.

Maçã,
Fruta preferida.
Simboliza o mal
O infortúnio na vida.

Fabiano Favretto

Há um.

Há um sono velado,
Sereno e intrínseco
Ao coração.

Há um sonho revelado
Relacionado ao ímpeto:
Força da Paixão.

Fabiano Favretto

Entupia

Se de utopia
Eu me entupia,
O mundo real eu não via.
Realmente, como seria?

Fabiano Favretto

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Credor

A verdade é preço à vista.
A mentira é à prazo e com altos juros.

Fabiano Favretto

Tela

Na pele branca
Dela,
Naquela alvura
Bem delineada,
Eu gostaria
Ter pintado
Com mais cores
Senão somente
O branco.

Fabiano Favretto

terça-feira, 13 de maio de 2014

Folha em Branco

Uma folha
Em branco
É tortura
Ou libertação?

Fabiano Favretto

Palito de Dente

É bem mais legal
Palitar os dentes
Do que passar fio dental.

Palito tem estilo!
Fio dental é chato de passar.
O palito é mais tranquilo.

Passar palito
É tão legal
Que tem até verbo:

Eu palito.
Tu palitas.
Ele palita.
...

Todos deveriam os dentes palitar .

Eu nunca vi
Alguém com fio dental na boca
Ficar andando por aí.

E agora digo
A função que do palito mais me agrada:
Espetar aperitivo.

Fabiano Favretto

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Oco

Eles acham que estou vivo
Mas é mentira, eu afirmo.

Nesse corpo vazio
De mim não há resquício.

Fabiano Favretto

Tanto

Tantas primaveras
Assim passadas.
Tantas pontes
Já atravessadas.
Tantos suspiros
Delineados.
Tantos desafios
Já superados.
Tanta coisa
A se dizer.
Tanta coisa
A se fazer.
De tanto tanto
Até esqueci
De viver.

Fabiano Favretto

Estrago

Bati tantas vezes
Na mesma tecla
Que meu teclado
Estragou.

Fabiano Favretto

sábado, 10 de maio de 2014

vaga-lume

Um fracassado
Caçador de estrelas
Virou caçador
De vaga-lumes.

Ao menos
As novas
Constelações
São imprevisíveis.

Fabiano Favretto

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Velhos Amigos

O reencontro de velhos amigos
É como velhos móveis esquecidos:
Quando se remove
A poeira do passado,
Se redescobre
A beleza de uma época.

Sérgio Luiz Favretto

Mais uma vez agradeço ao meu pai (Sergio Luiz Favretto) por colaborar com o blog ao criar tão bonito texto. Valeu O//

terça-feira, 6 de maio de 2014

Mel

Teus lábios antes doces:
Gosto bom como o do mel.
Com a distância
Transformaram-se
Em infortúnio
Fogo e fel.

Fabiano Favretto

Fermentação

Do vinho ao vinagre

O meu sangue coagula:

Meu penar ainda é grande,

E tudo isso é culpa sua.

Fabiano Favretto

Mentiras

Nem toda palavra
Amiga e lisonjeira
Por mais afável parecida,

É assim lavrada
No campo passageiro
Da verdade esclarecida.

Como uma adaga
Afiada, zombeteira
E envenenada de ironia,

A mentira é cravada
E em nosso peito queima
Encharcada de agonia.

Fabiano Favretto

domingo, 4 de maio de 2014

Jornal Mitológico - Primeira Edição

Jornal Mitológico:

--------------------

Novidades da novela mitologia:

Teseu e Ariadne
Em um labirinto amoroso:
Minotauro
Reclama de seus chifres.

--------------------

Mitologia do Povo:

Hércules reclama
Das horas extras
E do baixo salário
Em seus doze trabalhos:
"-O sindicato tem que estar
de olho nisso aí.. não aguento mais enfrentar
o imposto de renda.. Aqui em Neméia
o valor é muito alto".

--------------------

Mitologia Policial:

Prometeu roubar fogo,
Mas acaba vítima de
Tráfico de órgãos.
Ladrão acaba sem fígado,
mas um novo órgão surge no local
do antigo.
"-Foi até bom! Eu tinha cirrose hepática!
Me sinto bem como uma águia" -  afirma ladrão.

--------------------

Mitologia e tendências:

Adônis e Narciso
Comentam sobre estética
E a nova moda do período
Helenístico.

Cassandra prevê
Quais serão as tendências
Para o próximo verão grego.

--------------------

Classificados mitológicos:

Vendem-se produtos
De cera!
Deem asas à sua imaginação.
Ícaro empreendimentos.

Contrata-se barqueiro
Para a empresa Mundo Inferior:
Pagamento durante toda a morte
+ gorjetas de duas moedas.
Falar com Hades.

--------------------

Fabiano Favretto

quinta-feira, 1 de maio de 2014

emotivo

motiva
ação.

o

louco
motiva-se.


motivação.

a

locomotiva
na locomoção

louca

motiva a ação

do bater constante
de meu coração.

Fabiano Favretto